22 de setembro de 2020

Franca

INVESTIGAÇÃO

Polícia investiga causa da morte da garota Alice, morta aos cinco anos após acidente doméstico

A tragédia que terminou com a morte de Alice começou na madrugada desta última terça-feira, 22, quando ela foi levada ao Pronto-socorro Infantil com uma fratura no braço e um corte no olho. Segundo a mãe da garota, ela havia caído de uma escada de alvenaria em sua casa, no Jardim Santa Helena, zona oeste de Franca. A altura estimada da queda foi de um metro e meio.

Franca 25/07/2020

Reprodução
A morte da garotinha Alice Gomes Santana Irineu, de apenas 5 anos, supostamente após cair de uma escada na sua casa, pode ter uma reviravolta. A Polícia Civil investiga a hipótese que a criança tenha sido abusada sexualmente. O comportamento de alguns familiares nas unidades de saúde durante o atendimento e contradições sobre a origem dos ferimentos da criança levaram a polícia a começar a investigação. O prontuário médico não conseguiu comprovar a integridade do hímen da criança.
 
A tragédia que terminou com a morte de Alice começou na madrugada desta última terça-feira, 22, quando ela foi levada ao Pronto-socorro Infantil com uma fratura no braço e um corte no olho. Segundo a mãe da garota, ela havia caído de uma escada de alvenaria em sua casa, no Jardim Santa Helena, zona oeste de Franca. A altura estimada da queda foi de um metro e meio.
 
Após o primeiro atendimento no PS, o médico pediu um raio-x de crânio, mão e braço. Os exames constaram apenas uma fratura em seu braço. 
 
Segundo a Secretaria de Saúde, foi solicitada também a avaliação de um ortopedista na Santa Casa. Por cautela, Alice foi medicada e ficou em observação por cerca de três horas antes de ser encaminhada para a Santa Casa. No hospital, passou por atendimento com um ortopedista e, por volta das cinco da manhã, foi liberada.
 
Alice foi então levada para casa onde, por volta das oito da manhã, sua mãe percebeu que a criança estava desmaiada. 
 
A garotinha foi socorrida pelos familiares e levada novamente ao Pronto Socorro Infantil, onde chegou inconsciente. Após intensas manobras de ressuscitação, acabou não resistindo.
 
Segundo uma fonte do Pronto-socorro que que participou do atendimento a Alice e pediu para não ser identificada, a família reagiu com certa naturalidade diante da tragédia que chocava todos os profissionais. Diante da reação estranha dos familiares, o médico que atendeu a criança pela segunda vez e que contestou o óbito não conseguiu avaliar se havia ou não integridade no hímen da criança. Pediu, então, perícia e exames ginecológicos complementares.  
 
De acordo com uma segunda fonte ouvida pela reportagem do GCN, a mãe chegou a ser alertada pelos profissionais de saúde sobre a suspeita, mas teria permanecido calada. Após a morte da criança, a mãe foi levada até a DDM, onde a ocorrência de morte suspeita foi registrada. O caso segue agora investigado pela Polícia Civil. 
 
Versão da família
Procurada pela reportagem do GCN para comentar as suspeitas dos médicos, a mãe de Alice preferiu não se manifestar. Disse apenas que quem falaria sobre o caso é seu advogado. 
 
Fernando Goulart, advogado contratado para representar a família, disse que a mãe desconhece qualquer possível abuso. Reforçou também que foi contratado apenas para atuar no acompanhamento das apurações de uma possível negligência médica. Por fim, disse que vai esperar o resultado de todos os exames e laudos para se pronunciar.
 
Sobre o atendimento prestado a Alice, a família contesta a versão da Secretária de Saúde. Alegam que a criança não ficou em observação, mas apenas esperando no Pronto-socorro infantil até a vaga para a consulta com o ortopedista surgir na Santa Casa. Reclamam também de terem sido mal atendidos.
 
O caso está na DDM (Delegacia de Defesa da Mulher), responsável por investigar as circunstâncias da morte de Alice Santana.


COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

  • Agnaldo Souza
    25/07/2020 1 Curtiu
    A Vida deste anjo não volta mais. Agora, estamos tão perdidos enquanto seres humanos que tanto a versão da Secretaria de Saúde, de que a criança poderia ter sido abusada, tanto a versão da família de que foi negligência médica podem estar certas. Isso é triste.
Veja mais Polícia

CLIMA EM FRANCA

23°
16°

MAIS LIDAS

COLUNISTAS

ECONOMIA Atualizado 1 hora atrás

  • Dólar Comercial:
    Data:
  • Dólar Turismo:
    Data:
  • Euro:
    Data:

LOTERIAS Atualizado 1 hora atrás

  • Mega-Sena: 2301
    Sorteio: 17, 18, 35, 36, 47, 52 Data: 19/09/2020
  • Quina: 5371
    Sorteio: 02, 22, 37, 59, 77 Data: 21/09/2020