14 de julho de 2020

Brasil e Mundo

LIBERAÇÃO

Saúde divulga novo protocolo para uso da cloroquina contra covid-19

Cabe ao médico a decisão sobre prescrever ou não a substância, sendo necessária também a vontade declarada do paciente.

Brasil e Mundo 20/05/2020 - Repórter: Agência Estado
Foto de: Agência Brasil/Divulgação
Após a recusa de dois ministros da Saúde, que optaram por pedir demissão para não assinar o documento, coube ao general Eduardo Pazuello, que assumiu a pasta de forma interina, liberar a cloroquina para todos os pacientes de covid-19. Em documento divulgado nesta quarta-feira, a pasta formaliza o novo protocolo de uso do medicamento e passa a orientar a prescrição da substância desde o primeiro dia de sintoma da doença.

A orientação do ministério é pela prescrição de cloroquina ou sulfato de hidroxicloroquina, ambas combinadas com azitromicina, mesmo para casos leves. As doses dos medicamentos se alteram conforme o quadro de saúde. O documento avisa que cabe ao médico prescrever e que o paciente deve assinar um termo de "Ciência e Consentimento" sobre o uso da droga.

O protocolo inclui declarar conhecer que o tratamento pode causar efeitos colaterais que podem levar à "disfunção grave de órgãos, ao prolongamento da internação, à incapacidade temporária ou permanente, e até ao óbito."

"Apesar de serem medicações utilizadas em diversos protocolos e de possuírem atividade in vitro demonstrada contra o coronavírus ainda não há meta-análises de ensaios clínicos multicêntricos, controlados, cegos e randomizados que comprovem o beneficio inequívoco dessas medicações para o tratamento da covid-19. Assim, fica a critério do médico a prescrição, sendo necessária também a vontade declarada do paciente", diz um trecho do documento.

Nesta manhã, o presidente Jair Bolsonaro afirmou pelas redes sociais que o novo protocolo da cloroquina é uma "esperança" e lamentou as mortes pela covid-19. "Dias difíceis. Lamentamos os que nos deixaram. Hoje teremos novo protocolo sobre a cloroquina pelo Ministério da Saúde. Uma esperança, como relatado por muitos que a usaram. Que Deus abençoe o nosso Brasil", escreveu.

Tubaína
O lamento do presidente ocorreu após ele ter brincado ontem na entrevista com o uso da cloroquina, que foi uma das divergências que pesaram para o pedido de demissão do então ministro Nelson Teich na semana passada. "Quem é de direita toma cloroquina, quem é de esquerda, Tubaína", disse ontem o presidente.

O uso ampliado da cloroquina também foi motivo de divergência entre Bolsonaro e o antecessor de Nelson Teich na pasta da Saúde Luiz Henrique Mandetta.



COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

  • Alexandre Diniz
    20/05/2020
    Isso só vai servir para ele fazer uma compra milionária de um produto que nenhum médico sério irá prescrever. Vão tudo para o lixo por conta da validade mas os acionistas do laboratório vão ficar tão contentes que vão continuar a agradecer o patrono da cloroquina..
    • Carlos
      20/05/2020
      Quando alguém da sua família ficar doente pede para não administrar
Veja mais Brasil

CLIMA EM FRANCA

28°
18°

MAIS LIDAS

COLUNISTAS

ECONOMIA Atualizado 1 hora atrás

  • Dólar Comercial:
    Data:
  • Dólar Turismo:
    Data:
  • Euro:
    Data:

LOTERIAS Atualizado 1 hora atrás

  • Mega-Sena: 2278
    Sorteio: 08, 17, 34, 37, 43, 45 Data: 11/07/2020
  • Quina: 5312
    Sorteio: 05, 10, 30, 35, 79 Data: 13/07/2020